sábado, maio 03, 2008

Um pouco de céu...

Tenho saudades…
Saudades do pedaço de mim que me falta
Saudades dos tempos de rir.
Daqueles sorrisos que nem o medo descalça
Saudades de ver o sol da varanda,
Quando o chão não pedia para cair…
Saudades do tempo em que sonhava, dormia.
Hoje apenas durmo.
Mas vou tornar a ser.
Ser daquela gente que vive cada dia.
Deixar de ser Morto, taciturno.
Voltar a olhar o sol de frente,
A olhar-te de frente,
Com olhos de quem sabe ser mais,
Com a força que não viste,
Ou não quiseste.
Com a paixão de um beijo nos umbrais,
E a loucura saudável da peste.
E na face, nem mais uma gota de sal
Por quem não merece.
Abriu-se espaço em mim,
Morreu “gente” no meu peito.
Não cumpro luto só por ser normal.
Chamarei gente, sem aspas, sim,
Que não me queira por birra,
Que não me queira perfeito…

3 comentários:

Sara disse...

Espero que o teu camiho para "tornar a ser" seja rapido Ghost... tambem temos saudades tuas!
Esta mais do que na hora de destronar rainhas antigas.
Qualquer coisa ja sabes..
ps- como sempre, bela escrita! ;)

Nandita disse...

:)
sim, vai ser bom ter-te de volta...

Lau* disse...

sabes do k precisas? precisas de vir ver xutos à keima do porto! ahah xD

movimenta paí as tropas e eu cá vos espero =D

beijinho, e vê se animas!
qq coisa tou aki =)
*