sexta-feira, julho 07, 2006

Só me apetece perecer diante dos factos... A convicção que tenho de que o ser superior que está lá em cima, pérfido inventor deste irónico jogo que é a vida, é imparcial morre a cada momento que passa, a cada desilusão, a cada pedaço de real que me depara...
Pudera eu ser imune aos sentimentos, quisera que a minha alma fosse levada para onde eu não a buscasse, tornando-me fatalmente terreno, ingénuamente feliz...
Se ao menos as trevas me tomassem de uma vez e o choro errante que brota do ser a que dou o nome fosse pleno, intenso, efémero... Mas não! Seja verdade ou produto da sereia que me habita a imaginação e me sussurra sinais que te escapam, olhares que ardem de desejo (entre os outros, de desprezo...) ou indesejado arrependimento que enclausuras em ti, Alcatraz entre as mulheres, o que eu não dava por um dia só de tranquilidade, infantil despreocupação com estes jogos mortais!
Se a razão me incita a desistir, fechar os olhos embargados e deixar voar a quem a solidão lhe deu a "lucidez" (ou loucura) de voar no trapézio menosprezando a rede, o coração promete que estará sempre lá amparando a queda...

3 comentários:

Trigas disse...

Cmo eu t compreendo ghost.........cmo eu t compreendo....

Ghost disse...

Não conheço nenhum anonymous se me quiseres dizer alguma coisa ou assinas ou, no caso de achares mais conveniente, vens-me dizer em privado ok?

Nandita disse...

Acredita, é bom termos provas de que somos capazes de sentir, como tu sentes. Por cima e para além de toda a dor (sim, dói, crescer dói), ficará o lado bom, vais ver. A recordação de como foi vivido este tempo, de tudo o que de novo aprendeste.
Passei por coisas muito parecidas, há pouco tempo. Custou, mas começam a passar... Daquelas coisas da psicologia, sabes? Pegar no nosso objecto de desejo e tentar novos sentimentos por ele, enquanto redireccionamos o que sentiamos para novas coisas... Vidas...
Beijo, amigo, e boa sorte nessa viagem. Vais ver que tudo passa.
(tão fooooofinho...)