sexta-feira, agosto 03, 2007

Alma Gémea

Voltei de férias e comigo o blog também...


Por seres quase que a metade de mim
Basta um olhar, um qualquer sentimento.
Para quê palavras quando sorris assim?
Para que preciso eu de pensamento?

Um abalo em toda a certeza que tenho,
A tempestade que confunde a paixão.
Não sei se é o sentimento que desdenho,
Ou só fogo de vista do coração…

Sei que os meus olhos fixos na noite
Vêm uma cara entre a luz das estrelas,
A mais bela pintura na mais bela das telas.

E por fim como que na dor de um ritual
Fecho a janela, as pálpebras e a alma…
E encerro sem cor, mais um dia normal.

3 comentários:

Nandita disse...

Voltaste de férias com o espirito intacto, meu amigo... E começas a época com um poema lindissimo... a continuar assim, onde paramos? ;)
Espero que as férias tenham servido para os teus propósitos, que a tua alma esteja um nadinha mais em paz. beijo



ah e tal... qualquer dia até escreves um livro :P

Carla disse...

Mas que bem, com estrutura de soneto e tudo! O poema está lindo... como sempre. (mas é claro que não era preciso ser eu a dizer isto, certo?)

Be safe...
Carla

Lau* disse...

chegaste tu e saí eu e por isso te dou as boas vindas com mais de uma semana de atraso LOL =D

qt ao poema, ta lindo... como tds os outros ;)

beijoka*