sexta-feira, dezembro 26, 2008

Porque é natal.

Dá-me uma flor. Disseste.
E eu não dei.
É demasiado fácil dar-te uma flor,
Demasiado doce como o licor,
Mas tão tentador que ainda pensei.
Que sentido faria?
Se a flor que te daria,
Estragava o jardim que plantei?
Por agora dou-te o cheiro da flor,
Para que entendas a paixão.
O amor do jardim,
Esse vem do suor e lágrimas do coração.


Bom natal!

1 comentário:

Mirandela Sta Claus disse...

Fdx Dominas a arte da poesia! parabéns. Qualquer dia faço plágio ok?