quinta-feira, março 19, 2009

Quente (no coração)

Devia-me sentir em casa aqui?
Onde todos os dias me parecem diferentes
E a distancia do berço em que nasci
É simplesmente comprimento,
Há novos bancos onde me sento,
Com novas gentes…
Porque sei que um dia acaba o sal,
Um dia os nevões são só normais,
Talvez nesse dia fique sentimental,
Mas hoje quero mais,
Mais pedaços de mim que perdi no chão.
Hoje quero ilusão.

Hoje simplesmente apeteceu-me.